fbpx
07/01/2021

Linfoma de Hodgkin tem altos níveis de cura quando diagnosticado em fase inicial

Linfoma de Hodgkin tem altos níveis de cura quando diagnosticado em fase inicial

O linfoma ou doença de Hodgkin é um tumor que tem origem no sistema linfático, que é composto por órgãos e tecidos responsáveis pela produção das células que realizam a imunidade e dos vasos que conduzem essas células específicas pelo corpo. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostra que anualmente são diagnosticados cerca de 2.530 novos casos, sendo 1.480 em homens e 1.050 nas mulheres.

O médico hematologista Eduardo Cilião Munhoz, do Mantis Diagnósticos Avançados, explica que doença não tem uma faixa etária específica. “A doença aparece com mais frequência na região do pescoço e no tórax. Entre as principais características do linfoma de Hodgkin é a possibilidade de se espalhar de forma ordenada entre os grupos de linfonodos por meio dos vasos linfáticos. A doença vai surgir quando um linfócito, que é a célula de defesa do corpo, se transforma em uma célula maligna que consegue se multiplicar e disseminar a doença e, se não tratada na fase inicial, pode atingir outras partes do corpo.”

Os sintomas irão depender da localização da doença. Podem surgir ínguas (linfonodos inchados) indolores no pescoço, axilas e virilhas. Quando a doença ocorre no tórax os principais sinais são tosse, falta de ar e dor torácica. Se for na pelve ou abdômen o desconforto e a distensão abdominal são os principais alertas. Outros sintomas que também podem aparecer são febre, cansaço, suor noturno, perda de peso sem motivo aparente e coceira no corpo.

A principal forma de diagnóstico do linfoma de Hodgkin é realizada com a biópsia do local afetado, onde será extraída uma parte ou todo o linfonodo para exames patológicos. Na maioria dos casos o paciente é curado da doença quando é realizado o tratamento adequado que pode ser quimioterapia com ou sem radioterapia associada. “Quando o paciente tem recidiva da doença pode estar indicado o transplante de medula óssea autólogo”, finaliza.

 

Você pode se interessar também por: