Exames Oferecidos pelo Mantis

Sorologia para Citomegalovírus IgM
Sorologia para Citomegalovírus IgG

Exames Oferecidos pelo Mantis

Sorologia para Citomegalovírus IgM

Sorologia para Citomegalovírus IgG

O que é a Citomegalovirose

A citomegalovirose, ou doença de inclusão citomegálica, é uma infecção muito comum, que afeta considerável parte dos jovens ,devido à facilidade de transmissão do agente causador da doença, o citomegalovírus.

A virose raramente causa problemas mais sérios em pessoas saudáveis, mas, em indivíduos com o sistema imunológico comprometido – os imunodeprimidos –tem potencial para comprometer o sistema nervoso central e o trato digestivo, além de causar hepatite, pneumonia e inflamação de retina.

 

Saiba mais:

Vale lembrar que quem contrai a doença permanece com o vírus no organismo, em estado latente, por toda a vida, o qual pode ser reativado em situações de baixa imunidade, por este motivo pacientes que se submeteram a procedimentos como Transplante de Medula Óssea e de Órgãos Sólidos podem necessitar monitorar a atividade do vírus no organismo.

A citomegalovirose congênita, passada da mãe para o feto durante a gravidez, também costuma ser bastante grave, sobretudo se adquirida no primeiro trimestre da gestação, quando é capaz de acarretar seqüelas neurológicas, visuais e auditivas no bebê.

Causas e sintomas

Em adultos saudáveis, é bem possível que a infecção passe despercebida. Algumas pessoas, porém, costumam apresentar aumento dos gânglios do pescoço – as chamadas ínguas –,febre, mal-estar, dores nas articulações, cansaço, erupções na pele e elevação do volume do baço e do fígado. A causa da doença é o citomegalovírus, que pertence à família dos herpesvírus, a mesma dos agentes que provocam doenças como a catapora e a mononucleose. Esse agente pode ser transmitido por via respiratória, por meio do contato com gotículas de espirro, tosse e saliva de pessoas contaminadas, pelo beijo, por transfusões de sangue, por relações sexuais e pela chamada via materno-infantil, da mãe para o feto durante a gestação.

Exames e diagnósticos

Uma vez que os sintomas se assemelham aos de outras doenças, não há como fechar diagnóstico apenas como uma avaliação clínica, sendo necessários testes sorológicos que detectam a presença de anticorpos ,para um diagnóstico de certeza. Em recém-nascidos, a sorologia tem seu valor, mas o melhor exame para diagnóstico da infecção é o isolamento do vírus na urina do bebê.

Tratamento e prevenções

Como na maioria das infecções provocadas por vírus, na fase aguda, o tratamento visa a combater a febre, as dores e o mal-estar com analgésicos e antitérmicos, exigindo repouso e alimentação leve até que os sintomas desapareçam espontaneamente. Nas formas graves da doença, que se manifestam nas pessoas com o sistema imunológico comprometido, costumam ser usados antivirais específicos.

Contudo, a prevenção pode, sim, fazer diferença para gestantes e imunodeprimidos que ainda não tiveram contato com o vírus. Para ambos os grupos, recomendam-se cuidados básicos para reduzir a exposição a agentes infecciosos de maneira geral, como redobrar a atenção com a higiene das mãos, usa preservativo nas relações sexuais e evitar, na medida do possível, o contato com pessoas que tenham um conjunto de sintomas característicos, com gânglios aumentados, febre e mal-estar.


javaversion1
Warning: passthru() [function.passthru]: Cannot execute a blank command in /home/storage/4/21/b2/mantisdiagnosticos/public_html/wp-content/themes/maleo/footer.php on line 3
UA-78955179-1